Desempenho Passado como Fator Determinante do Desempenho Futuro: Avaliação em um Curso Stricto Sensu em Ciências Contábeis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2018v21n3a8

Palavras-chave:

Desempenho, Stricto sensu, Teoria da Assimilação

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar a influência do desempenho passado de estudantes de Ciências Contábeis em seu desempenho em etapas futuras. A amostra foi composta por 40 indivíduos que participaram do processo de ingresso do curso de pós-graduação stricto sensu em Ciências Contábeis de uma instituição de ensino pública. Os métodos estatísticos utilizados foram a estatística descritiva, a correlação de Pearson e a regressão linear múltipla. Os resultados apontaram que apenas o curso de graduação em que o estudante é formado apresentou significância estatística, confirmando a hipótese de que estudantes que cursaram a graduação em Ciências Contábeis tendem a apresentar desempenho superior no processo de ingresso no curso de pós-graduação stricto sensu em Ciências Contábeis. Assim, este estudo corrobora a Teoria da Assimilação, visto que, se o indivíduo inscrito no processo de ingresso do curso de pós-graduação stricto sensu em Ciências Contábeis for bacharel em Ciências Contábeis, ele tenderá a obter maior nota do que o aluno não graduado nesse curso. A contribuição do artigo deve-se à tentativa de ampliação do conhecimento sobre o desempenho acadêmico de alunos de pós-graduação, tema ainda pouco explorado no Brasil.

          

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Hugo Pereira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

              

Joice Garcia Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

        

Jacqueline Veneroso Alves da Cunha, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

    

Bruna Camargos Avelino, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

  

Referências

Aldin, M. M., Nayebzadeh, S., & Heirany, F. (2011). The relationship between background variables and the educational performance (Case study: accounting MA students). 2nd International Conference on Education and Management Technology IPEDR, 13, pp. 44-48.

Andrade, G. M., & Theóphilo, C. (2007). Metodologia da investigação científica para Ciências Sociais Aplicadas. Sao Paulo, Brasil: Atlas.

Araújo, E. A. T., Camargos, M. A., Camargos, M. C. S., & Dias, A. T. (2014). Desempenho acadêmico de discentes do curso de Ciências Contábeis: uma análise dos seus fatores determinantes em uma IES Privada. Contabilidade Vista & Revista, 24(1), 60-83.

Ausubel, D. P. (1968). Educational psychology: a cognitive view. New York: Holt, Rinehart and Winston, Inc.

Ausubel, D. P. (2003). Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 1.

Ausubel, D. P., Novak, J. D., & Hanesian, H. (1980). Psicologia educacional (E. Nick, H. B. C. Rodrigues, L. Peotta, M. A. Fontes, & M. G. R. Maron, Trads.). Rio de Janeiro: Interamericana.

Barros, R. P. & Mendonça, R. (2000). Uma análise dos determinantes do desempenho educacional no Brasil. Brasília: Projeto Nordeste, 2000.

Beuren, I. M., & De Souza, J. C. (2008). Em busca de um delineamento de proposta para classificação dos periódicos internacionais de contabilidade para o Qualis CAPES. Revista Contabilidade & Finanças-USP, 19(46), 44-58. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772008000100005

Buchweitz, B. (2001). Aprendizagem significativa: ideias de estudantes concluintes de curso superior. Investigações em ensino de Ciências, 6(2), 133-141.

Byrne, M., & Flood, B. (2008). Examining the relationships among background variables and academic performance of first year accounting students at an Irish University. Journal of Accounting Education, 26(4), 202-212.

Costa, D. M., Costa, A. M., & Barbosa, F. V. (2013). Financiamento público e expansão da educação superior federal no Brasil: o REUNI e as perspectivas para o REUNI 2. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, 6(1). Doi: http://dx.doi.org/10.5007/1983-4535.2013v6n1p106

Durso, S. O., da Cunha, J. V. A., Neves, P. A., & Teixeira, J. D. V. (2016). Fatores Motivacionais para o Mestrado Acadêmico: uma Comparação entre Alunos de Ciências Contábeis e Ciências Econômicas à luz da Teoria da Autodeterminação. Revista Contabilidade& Finanças-USP, 27(71), 243-258. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201602080

Espejo, M. M. D. S. B., Ribeiro, F., Silva, P. Y. C., & Oliveira, R. M. (2017). Conversação Necessária: articulação entre o curso de graduação em contabilidade e os programas de pós-graduação stricto-sensu na área. Contabilidade Vista & Revista, 28(1), 1-24.

Fagundes, C. V., Luce, M. B., & Espinar, S. R. (2014). O desempenho acadêmico como indicador de qualidade da transição Ensino Médio-Educação Superior. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, 22(84), 635-670, jul./set. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362014000300004

Ferreira, M. A., Santos, C. K., Miranda, G. J., & Leal, E. A. (2014). Desempenho discente: o passado determina o futuro. In: Encontro da ANPAD, XXXVIII, 2014, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: ANPAD, 2014. CD-ROM.

Hair Júnior, J. H., Anderson, R. E., & Tatham, R.L. (2005). Análise Multivariada de Dados, 5. Porto Alegre: Bookman.

Kalbers, L. P., & Weinstein, G. P. (1999). Student performance in introductory accounting: a multi-sample, multi-model analysis. The Accounting Educators’ Journal, 11.

Katsikas, E., & Panagiotidis, T. (2011). Student status and academic performance: accounting for the symptom of long duration of studies in Greece. Studies in Educational Evaluation, 37(2), 152-161. Doi: https://doi.org/10.1016/j.stueduc.2011.03.009

Kalbers, L. P., & Weinstein, G. P. (1999). Student performance in introductory accounting: A multi-sample, multi-model analysis. The AccountingEducators’ Journal, 11.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman.

Masasi, N. J. (2012). How personal attribute affect students’ performance in undergraduate accounting course: A case of adult learner in Tanzania. International Journal of Academic Research in Accounting, Finance and Management Sciences, 2(2), 201-211.

McKenzie, K., & Schweitzer, R. (2001). Who succeeds at university? Factors predicting academic performance in first year Australian university students. Higher education research and development, 20(1), 21-33.

Miranda, G. J., Mamede, S. P. N., Marques, A. V. C., & Rogers, P. (2014). Determinantes do desempenho acadêmico em Ciências Contábeis: uma análise de variáveis comportamentais. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, XIV, 2014, São Paulo. Anais...São Paulo: USP, 2014. CD-ROM.

Miranda, G. J., Lemos, K. C. S., Oliveira, A. S., & Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho acadêmico na área de negócios. Revista Meta: Avaliação, 7(20), 175-209. Doi: https://doi.org/10.22347/2175-2753v7i20.264

Morche, B. (2013). A expansão do sistema de educação superior no Brasil, na China e na Índia: uma análise comparada. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Moreira, M. A., & Buchweitz, B. (1993). Novas estratégicas de ensino e aprendizagem: os mapas conceptuais e o Vê epistemológico (4. ed). Santa Maria de Corroios, Portugal: Plátano-Edições Técnicas.

Moreira, M. A., & Masini, E. F. S. (2001). Aprendizagem significativa: a Teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro.

Munhoz, A. M. H. (2004). Uma análise multidisciplinar da relação entre inteligência e desempenho acadêmico em universitários ingressantes. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Pontes Neto, J. A. D. S. (2013). Teoria da aprendizagem significativa de David Ausubel: perguntas e respostas. Série-Estudos-Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, (21).

Pozo, J. I. (1998). Teorias cognitivas da aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Puc-Rio. (2016). Regulamento dos Programas de Pós-Graduação - stricto sensu. PUC-Rio, Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos.

Rangel, J. R., & Miranda, G. J. (2016). Desempenho Acadêmico e o Uso de Redes Sociais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 11(2), 139-154. Doi: http://dx.doi.org/10.21446/scg_ufrj.v11i2.13383

Santos, N. de A. (2012). Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de ciências contábeis. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Doi: 10.11606/T.12.2012.tde-11062012-164530

Silva, M. C. D., Chacon, M. J. M., Pederneiras, M. M. M., & Lopes, J. E. D. G. (2004). Procedimentos metodológicos para a elaboração de projetos de pesquisa relacionados a dissertações de mestrado em Ciências Contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, 15(36), 97-104. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772004000300006

Silva, D. M., Leal, E. A., Pereira, J. P., & Oliveira Neto, J. D. (2015). Estilos de aprendizagem e desempenho acadêmico na Educação a Distância: uma investigação em cursos de especialização. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 17(57), 1300-1316. Doi: http://dx.doi.org/10.7819/rbgn.v17i57.1852

Downloads

Publicado

2018-11-02

Como Citar

Pereira, V. H., Oliveira, J. G., Cunha, J. V. A. da, & Avelino, B. C. (2018). Desempenho Passado como Fator Determinante do Desempenho Futuro: Avaliação em um Curso Stricto Sensu em Ciências Contábeis. Journal of Accounting, Management and Governance, 21(3), 439–458. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2018v21n3a8

Edição

Seção

Artigos