Como Classificar as Reservas de Capital na Demonstração dos Fluxos de Caixa?

Autores

  • Paulo Roberto Barbosa Lustosa UnB
  • Ariovaldo dos Santos USP

Resumo

Este artigo analisa as características de cada uma das reservas de capital obrigatórias do sistema contábil brasileiro e apresenta, a partir dessa análise, alternativas para a classificação, entre os três grupos de atividades da Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC, das movimentações físicas e virtuais de dinheiro presentes nos eventos geradores de reserva de capital. As principais normas contábeis estrangeiras sobre o modelo de fluxos de caixa realizados, como a americana FAS-95 – Statement of Cash Flows, do FASB – Financial Accounting Standards Board e a norma internacional IAS-7 revisada– Cash Flow Statements, do IASB – International Accounting Standards Board, não contêm referências específicas sobre a classificação das reservas de capital na DFC e, além disso, algumas dessas reservas são típicas do sistema contábil adotado no Brasil. O trabalho utiliza uma abordagem metodológica crítico-investigativa do referencial teórico e normativo sobre reservas de capital e ilustra a discussão com um exemplo que contempla todas as reservas discutidas, a partir do qual são elaboradas as DFC por uma das alternativas propostas na análise e pelos critérios do FAS-95. Conclui-se que a alternativa apresentada promove uma maior integração da DFC com as demais demonstrações contábeis do que a abordagem que vem sendo utilizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Roberto Barbosa Lustosa, UnB

Professor doutor no Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília CCA – UnB – DF

Ariovaldo dos Santos, USP

Professor livre-docente no Departamento de Contabilidade e Atuaria da Universidade de São Paulo FEA – USP – SP

Downloads

Publicado

2009-10-21

Como Citar

Lustosa, P. R. B., & dos Santos, A. (2009). Como Classificar as Reservas de Capital na Demonstração dos Fluxos de Caixa?. Journal of Accounting, Management and Governance, 10(1). Recuperado de https://www.revistacgg.org/contabil/article/view/150

Edição

Seção

Articles