Representações Sociais da Contabilidade no Facebook

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2017v20n3a1

Palavras-chave:

Divulgação Científica, Contabilidade, Representações sociais, Mídias sociais, Facebook

Resumo

Este trabalho aborda as representações sociais da contabilidade no Facebook, como bases empíricas para a discussão sobre os estereótipos da contabilidade e seus significados. O objetivo é colaborar para a compreensão dos perfis de públicos aos quais se possam direcionar políticas públicas de divulgação científica da contabilidade. O objeto de estudo foram mensagens compartilhadas na rede social Facebook, Mensagens das dez comunidades do Facebook mais populares que respondem ao uso da palavra-chave ‘contabilidade’ foram coletadas e analisadas através de análise de conteúdo e webometria. Os dados sugerem que a contabilidade tende a se apresentar como um saber especializado, metódico e burocrático, com forte influência normativa e tributária, e exercida por profissionais que lidam com um paradigma: devem fornecer informações uteis aos usuários da contabilidade, mas se apropriam deste saber e interagem entre si desconsiderando saberes e contextos destes usuários. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Canan, Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat)

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo

Isabela Augusta Andrade Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutora em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Kelly Cristina Pereira de Oliveira, Universidade do Estado de Mato Grosso

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado de Mato Grosso - bolsista de Iniciação Científica

Referências

Acosta Valencia, G. L., & Maya Franco, C. M. (2012). Participación política en redes sociales: el caso de los grupos en Facebook®. Sello Editorial de la Universidad de Medellín.

Albagli, S. (1996). Divulgação científica: informação científica para cidadania. Ciência da informação, 25(3).

Arruda, A. (1998). O ambiente natural e seus habitantes no imaginário brasileiro. Representando a alteridade. Petrópolis: Vozes, 17-46.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo (Edição revista e actualizada).

Lisboa: Edições, 70. Bittencourt, M. C. A. (2016). Midiatização do Ativismo e Jornalismo Digital: o impacto dos filtros do Facebook nos processos de produção e circulação de conteúdos de coletivos midiáticos.

Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, 12(22).

Bueno, W. C. (2010). Comunicação cientifica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituaiss. Informação & Informação, 15(1esp), 1-12.

Couto, T. C. (2013). O Facebook como instrumento para a construção do senso comum on-line. Revista Mídia e Cotidiano, 2(2), 321-334.

de Contabilidade, C. F. (2016). Pesquisa perfil do profissional da contabilidade 2012/13.

Dias, G. M., & de Andrade Martins, G. (2005). Representações sociais e imaginário coletivo na contabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade, 2(4), 9-31.

Ebrahimi, M., & Salaverría, R. (2015). Virtual identities of Muslim women: A case study of Iranian Facebook users. Observatorio (OBS*), 9(1), 159-170.

Guerra, G. C. M., Shinzaki, K., Ichikawa, E. Y., & Sachuk, M. I. (2011). A representação social da profissão de contador na perspectiva dos profissionais da contabilidade. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(12), 157-171.

Halfeld, P. C. (2013). A construção do outro nas redes sociais: uma análise semiolinguística de comunidades do Facebook. Entretextos, 12(2).

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (1999). Teoria da Contabilidade.

trad. Antônio Zoratto Sanvicente. São Paulo: Atlas. Tradução de: Accounting theory.

Iudícibus, S. (2004). Teoria da Contabilidade. São Paulo : Atlas

Iudícibus, S. D., Martins, E., & Carvalho, L. N. (2005). Contabilidade: aspectos relevantes da epopéia de sua evolução. Revista Contabilidade & Finanças, 16(38), 7-19.

Junior, G. C. S., & Rocha, L. D. M. L. N. (2013). A Internet e os novos processos de articulação dos movimentos sociais. Revista Katálysis, 16(2), 205-213.

Kozinets, R. V. E-tribalized marketing? the strategic implications of virtual communities of consumption. European Management Journal, London, v. 17, n. 3, p. 252-264, June 1999.

Liceaga Mendoza, R. I. (2014). Representaciones de Facebook: nomenclaturas de vida ante la ley, la amistad y la muerte. Cultura y representaciones sociales, 8(16), 137-174.

Lopes, A. B. & Martins, E. (2005). Teoria da Contabilidade: Uma Nova Abordagem. São Paulo: Atlas

Lopes, A. B., & Iudícibus, S. D. (2004). Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas.

Miranda, G. J., Leal, E. A., de Oliveira Medeiros, C. R., & Lemes, S. (2015). SOCIAL REPRESENTATIONS OF COLLEGE APPLICANTS:(RE) CONSTRUCTING THE STEREOTYPE OF ACCOUNTING PROFESSIONALS. Advances in Scientific and Applied Accounting, 8(1), 020-038.

Monfredini, I. (2015). Ciencia para la inclusión social en Brasil: un análisis crítico. Sinéctica, (44), 1-19.

Moscovici, S. (2009). Representações sociais: investigações em psicologia social. In Representações sociais: investigações em psicologia social. Vozes.

Moscovici, S. A. On social representation. (1981). In: FORDAS, JP (eds) Social cognition: perspectives on everyday ubderstanding. London: Academic Press, pp. 181 – 209.

Oliveira, F. O.; Werba, G. C. (1998). Representações Sociais. In: JACQUES, M. G. P. et al. Psicologia social contemporânea. Petrópolis: Vozes

Panhoca, L., Accioly Jr, H., Nakagawa, M., & Silva, O. M. P. D. (2004). A representação das palavras contabilidade, custos e investimento para os universitários e profissionais da área econômica/financeira. Revista Contabilidade & Finanças, 15(35), 45-53.

Pedroni, M., Pasquali, F., & Carlo, S. (2014). «My Friends are my Audience»: Mass-mediation of Personal Content and Relations in Facebook. Observatorio (OBS*), 8(3), 97-113.

Prates, H. Crítica social e participação política na internet. Galaxia (São Paulo, Online), 27, 254-257

Schmidt, P. (1998). A classificação da contabilidade dentre os ramos do conhecimento humano. Caderno de Estudos, (17), 01-17.

Silva, C. R., Gobbi, B. C., & Simão, A. A. (2011). O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais & Agroindustriais, 7(1).

Tilly, C., & Wood, L. J. (2010). Los movimientos sociales, 1768-2009: Desde sus orígenes a Facebook. Grupo Planeta (GBS).

Tomaél, M. I., Alcará, A. R., & Di Chiara, I. G. (2005). Das redes sociais à inovação. Ciência da informação, Brasília, 34(2), 93-104.

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da informação, 31(2), 152-162.

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

Canan, I., Souza, I. A. A., & Oliveira, K. C. P. de. (2017). Representações Sociais da Contabilidade no Facebook. Journal of Accounting, Management and Governance, 20(3), 314–331. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2017v20n3a1

Edição

Seção

Artigos